Jornalista Oswaldo Eustáquio desmente The Intercept Brasil

Reportagem do site de extrema-esquerda é desmontada com documentos obtidos pelo MS Conservador.

Matéria do dia 20/07/2020 - Publicada por Voluntários do MS Conservador.

Documentos obtidos pelo MS Conservador nesta segunda-feira (20),  revelam que postagens feitas para o jornalista Oswaldo Eustáquio no Facebook foram pagas pelo gestor das redes sociais dele, e não por sua esposa, Sandra Terena, como afirma o site de extrema-esquerda The Intercept Brasil.

Reportagem tendenciosa assinada pelos ativistas Amanda Audi e Rafael Moro Marins diz que press releases a veículos de comunicação foram pagos por Sandra no mês de maio. Porém, nos documentos que são recibos do próprio Facebook, é possível ver datas diferentes e o nome do gestor das redes sociais de Eustáquio, Jackson Fernando.

O jornalista emitiu uma nota sobre a reportagem e classificou o conteúdo como infundado e com o objetivo de difamá-lo. Eustáquio ainda afirma que a matéria apresenta mentiras grosseiras com texto com informações soltas e fora de contexto.

O jornalista foi preso em Campo Grande no dia 26 de junho a mando do ministro Alexandre de Morais do Superior Tribunal Federal (STF), que alegou que o profissional estaria agindo com atos antidemocráticos. O jornalista foi solto após 10 dias e está impedido pelo STF de atuar em suas redes sociais. 
 

Confira a nota na íntegra 

A matéria assinada por Amanda Audi, publicada pelo The Intercept Brasil, segunda-feira (20), é infundada, e tem o objetivo difamar o Oswaldo Eustáquio e seu trabalho, enquanto jornalista. O texto traz informações soltas, fora de contexto. Sendo algumas das informações, retiradas de documentos vazados do celular do Oswaldo que está custodiado pela Polícia Federal. Amanda entrou em contato dias atrás, com o próprio Oswaldo, informando que tinha "fontes" com conteúdo sobre o Oswaldo.

A reportagem além de pontos soltos e infundados vazados do celular do jornalista custodiado na PF, apresenta mentiras grosseiras como a tentativa de induzir o leitor a acreditar que as publicações feitas no Facebook de Eustáquio teriam sido pagas por sua esposa, o que não ocorreu, documentos apresentados por Eustáquio desmentem a versão do Intercept, pois as publicações foram pagas com o cartão de crédito do gestor de suas redes sociais, depois reembolsadas, conforme extratos bancários.

Faça parte do nosso Apoi.se: https://apoia.se/msconservador

O MS Conservador não aceita dinheiro público e muito menos financiamento de políticos e partidos políticos, somos um grupo de voluntários atuando para levar sempre a verdade e o crescimento do conhecimento conservador.

Ajude a manter a nossa página atuante e nossas matérias diárias, faça sua doação: 

Banco Bradesco           
Agência: 5306
Conta: 22591-6
CPF: 904.070.671-91

Banco Caixa Econômica
Operação: 013    
Agência: 1568
Conta: 47823-0
CPF: 028.459.011-86