Não à ‘gênero neutro’ nas escolas

Pais, realizam abaixo assinado contra modelo defendido por movimentos de esquerda

24/11/2020 – Voluntários MS Conservador

 

Após o Colégio Franco-Brasileiro, instituição particular na Zona Sul do Rio de Janeiro, emitir um comunicado, em novembro de 2020, à comunidade escolar afirmando que vai promover estratégias para adotar a chamada linguagem neutra de gênero (ou terceiro gênero) nos espaços formais e informais da escola - o modelo defendido por movimentos sociais esquerdista, mas não por linguistas -, pais fizeram um abaixo-assinado para impedir essa bizarrice na escola.

O documento, que conta com 2.300 assinaturas, pede a "não mudança da Norma Culta da língua Portuguesa em documentos e comunicados oficiais das escolas" por entender a medida "como um movimento de 'ideologia de gênero".

"Acreditamos na importância de ações de inclusão, nas suas diversas formas, seja no combate ao racismo, gordofobia, homofobia, preconceitos e exclusão social, entre outros. Lembrando que essa conscientização tão importante para a formação do caráter de nossos filhos deve ser ensinada no seio familiar, o que não exclui a escola de promover debates e palestras", ressalta a petição.

O abaixo-assinado frisa que "discursos ideológicos e com viés partidário dentro das instituições escolares tradicionais e apartidárias promovem maior polarização e dividem a comunidade escolar e a sociedade como um todo".

Leia o documento na íntegra

Fonte: Direto aos Fatos