Oswaldo Eustáquio diz que sabia que prisão poderia ocorrer: ‘Eu estava preparado’

Defesa do jornalista prepara o pedido de liberação dele para ser impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF).

 

O jornalista Oswaldo Eustáquio preso nesta sexta-feira (26) em Campo Grande pela Polícia Federal, disse que sabia que poderia ser detido a qualquer momento por conta dos fatos que vinham ocorrendo no país, afirmou um dos advogados dele, Marcos Caldeira, que esteve com Oswaldo na sede da PF.

“Conversamos por cerca de meia hora, o Oswaldo está muito sereno e disse que já estava ciente que isso poderia acontecer com ele diante dos  fatos que vinham acontecendo. Ele pediu para que os grupos de Direita continuem sendo a voz dele e entende o papel dele nesse momento, em um processo delicado da nossa democracia que estamos vivendo”, afirmou.

O jornalista está em uma cela individual da Polícia Federal. A defesa prepara o pedido de liberação que deve ser impetrado no STF ainda neste sábado (27).

A Polícia Federal prendeu o jornalista em Campo Grande (MS), na manhã de sexta-feira, a mando do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Ele é investigado na Operação Lume, inquérito que apura financiamento e organização contra atos considerados antidemocráticos pelo Supremo.

Oswaldo chegou a publicar uma carta obitida com exclusidade pelo MS Conservador, nela ele diz que foi preso por simplismente defender a democracia. A prisão é temporária e tem prazo de cinco dias, podendo ser prorrogada por mais cinco.