Paralisação em rodovias: oito estados brasileiros já registram protestos de caminhoneiros

Paralisação faz parte de movimento em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Valter Campanato | Arquivo da Agência Brasil

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou, até 19h desta quarta-feira (8), pontos de bloqueio em rodovias por todo o país em razão da paralisação de caminhoneiros, iniciada na manhã de hoje.

De acordo com a PRF, cerca de 8 estados já possuem notificações.

Os bloqueios aconteceram na Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Conforme apurou o Conexão Política, caminhoneiros de São Paulo e Pernambuco também se movimentam para realizar uma série de bloqueios a partir da noite desta quarta.

A PRF informa que o procedimento em caso de bloqueio em rodovias é dialogar com os manifestantes para que o protesto não se torne prolongado. No entanto, não há previsão de por quanto tempo as rodovias continuem paralisadas.

O que se sabe

Até a noite desta quarta, pouco se sabe sobre a origem dessas manifestações da classe caminhoneira. No entanto, os integrantes têm dito que a movimentação não é comandada por tradicionais entidades e lideranças da categoria, mas conduzida espontaneamente por profissionais autônomos.

Fazem parte dos protestos, com bloqueios de vias, caminhoneiros que se dizem apoiadores do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em Brasília, por exemplo, eles usam camisas verde-amarelas e reforçam apoio a pautas defendidas ao longo dos atos de ontem, entre elas o impeachment do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Essa causa, inclusive, foi ecoada em diversas cidades do país, incluindo manifestações ocorridas em Brasília.

Em vídeos nas redes sociais, caminhoneiros autônomos atribuem o aumento dos combustíveis aos governadores. De acordo com os adeptos que estão aderindo às paralisações, os ministros do STF são o foco das reivindicações. Eles destacam, inclusive, nomes de colegas que foram alvos de decisões recentes do Supremo: o cantor Sérgio Reis e o caminhoneiro Zé Trovão.

O grupo também repudia medidas de busca, apreensão e prisão contra ativistas, jornalistas, produtores de conteúdo, líderes partidários e políticos no âmbito do inquérito que investiga supostos atos antidemocráticos, aberto pelo ministro Alexandre de Moraes.

A maior movimentação concentra-se no estado de Santa Catarina, com cerca de cinco rodovias federais atingidas por bloqueios. São elas: BRs 101, 280, 116, 470 e 282.

Com informações do Conexão Politica.